Concerto de Enrique Flor (o velho ou o novo?) no Phoenix Park

blog-medeiros

    Baseado num episódio musical de Ulysses, de James Joyce, o poema longo Enrique Flor, o novo (a ser publicado pela Iluminuras no ano que vem) fala das atividades de Flor, grande músico português que atuou em Dublin ao longo de vários anos, a partir de 1904, quando Joyce o ouviu pela primeira vez na Irlanda. Enrique Flor, no poema, semeia por onde passa os mais variados sons vegetais; seus instrumentos são árvores, moitas, sementes, como se pode verificar no trecho abaixo:   

 

[Concerto de Enrique Flor (o velho ou o novo?) no Phoenix Park]

 

:: sob o céu cinza escuro  os galhos (levemente) (brevemente) (continuamente) se movem; o tempo muda; arbustos verdes evocam tepees na planície com chocalhos soando dentro

:: tufos de alcachofra e copos-de-leite estão como que em outro lugar…

:: {eis quatro sementes de trevo; são pequenas assim mesmo} ::

:: campainhas brancas, lilases, indecisas, todas voltadas para o chão; atrás delas, o som alto de galhos cheios, fartos; as copas fervilham

:: de repente os galhos soam mais forte ao redor e é como se o obelisco no outro lado da rua fosse uma torrente de água e despencasse no parque; então o vento cessa

:: sons mecânicos (de uma fênix futurista) brotam de dentro da copa de um veludo negro; na verdade, copa berinjela; ou copa vinho (escuro na garrafa)

:: do meio dos canteiros exageradamente floridos se avista do outro lado da cidade uma montanha sonolenta (anêmica, ela não desperta); o sol sobre os caminhões de cerveja reluzentes (seguem em fila, saindo da fábrica, e a fila é mais longa do que a montanha) chama a atenção

:: {estas sementes foram guardadas dentro de um saquinho de plástico transparente}::

:: {estas sementes foram ofertadas à fênix mecânica por Enrique Flor; estas sementes (um tributo pagão, já se vê) são a sua música plastificada} ::[1]

:: {estas sementes (lançadas ao solo depois de rasgado o saco de plástico) poderão vir a ser quatro trevos-de-quatro-folhas; trevos ainda muito pequenos} ::