Titulo Autor      


  noticias


terça-feira, 2 de abril de 2013

CASA DE MÁSCARAS de Péricles Prade

Arquiteto do maravilhoso, mestre da lógica do delírio, Péricles Prade nos apresenta agora este Casa de Máscaras, seu novo livro de poemas. A trajetória poética de Péricles teve início em 1963, com Este interior de serpentes alegres. Em 1970 surge o primeiro livro de ficção em prosa, intitulado Os milagres do cão Jerônimo, que parece ser, na obra do autor, o único em que os contos ainda têm uma estrutura que lembra sua forma tradicional. Pois a partir de Alçapão para gigantes (1980), Péricles Prade ingressa definitivamente no círculo mágico de suas criações, quando transcende os gêneros literários e tudo passa a ser, mais que poemas e contos, um universo de múltiplas dimensões dirigido por um feiticeiro com diabólica sensibilidade para a poesia como linguagem do oculto e do sagrado.

Já foi dito que a obra de Péricles Prade é um caso isolado na literatura brasileira. É verdade. Mas ela, a obra, é também contagiante. Seus livros convidam ao delírio, e para falar sobre eles é preciso dar um salto para muito além do racional e dizer coisas que soam loucas. Dá vontade de gritar: “Omphalos! Umbigo do mundo! Esfera cujo centro está em toda a parte e a circunferência em nenhuma!”. E há também uma tendência, quando se procura estender os braços para apalpar referências ao redor, de dizer que se trata de uma literatura de nonsense e logo, logo Lewis Carroll nos vem à mente.

Tudo bem, até acho que Péricles tem alguma coisa de Carroll, como tem alguma coisa de quase tudo, mas numa outra direção, sempre numa outra direção.[]/p1]



EDITORA ILUMINURAS - LTDA
Rua Inácio Pereira da Rocha, 389 Cep: 05432-011 - São Paulo - SP Tel/Fax: (11) 3031-6161