Carrinho

Seu carrinho está vazio.

MATRIUSKA

SIDNEY ROCHA

  • R$ 42,00
  • R$ 31,50

Romance. Cada conto deste livro forma um. Cada romance é um conto (de fadas ou do vigário, à livre escolha). Por fim, a sensação de que este livro, embora não pareça, é mesmo uma história de amor. Escrita com intensidade e firmeza raras na literatura brasileira.

Um mergulho de fôlego na alma feminina com um sentido de imanência poucas vezes visto desde Machado de Assis. Abraços partidos, sonhos aos pedaços, esperanças liquidadas. A mulher, a vida, com os seus mistérios, desejos, dores, deleites. Urbanos, demasiado urbanos, estes relatos curtos inovam ao mesclar técnicas de música e cinema. Puzzle pleno de magia crua tomada do cotidiano, da “vida apenas, sem mistificação”.

Entre o prazer da escrita e a escrita do prazer, Sidney Rocha distribui como que pílulas de Eros e Tanatos a cada uma das suas personagens e o resultado é um calafrio ardente. Como das coisas em carne viva. E a leve impressão de que, embora pareça, este livro não é mesmo uma história de amor.

Conhece Sidney Rocha? Ora. Faz tempo que ele existe. Desde que li, faz um tempo danado, sua novela Calango-tango, eu sentia falta do texto dele. Do trinado, do ciscado. Da prece que ele faz. Do rebuliço de seus personagens. Seus parágrafos certeiros. Seu jeito de prosear. Poética, assim, medonha. Estética sem cerimônia. Sim, ele também lançou o romance Sofia. De repente, eis que ele volta, com este livro de contos curtos. E assustadores. Porque inovadores. Porque musicais, etc. e tais. E porque dificilmente existe autor como ele. Falando de certas mulheres. De certos recalques. Sem ser chato, entende? Sem querer ser o dono-da-cocada. O pior sujeito é aquele que coloca borboleta na gravata para escrever. E não voa. Não sai da mesmice. Eta porra! Sidney tem o que eu aprecio em todo coração arredio: a pulsação. A verdade. O sentimento que está na linguagem. Nos sons que ele costura tão bem. Tão modernamente, sarava, amém!

Caro leitor, pode apostar: pegue este livro na mão e veja se eu não tenho razão. Resumindo: são contos-cantos que vêm inovar e sacudir a prosa brasileira. E depois seguir por aí. Descendo e subindo a ladeira. Deixando seu sangue na gente. Assim, tão raro e para sempre!

 

                                                                                                                 Marcelino Freire


Contra o estilo | Jornal Rascunho por José Castello



Autor(a) Sidney Rocha
Nº de páginas 78
ISBN 978-85-7321-308-9
Formato 13,5x22,5cm

Autores

SIDNEY ROCHA

Avaliações (0 comentários)

Escreva um comentário

Nota: HTML não suportado.
   Ruim           Bom

Em diversas narrativas, autores tratam desde relações de gênero até intolerância religiosa

***

[SEGUNDA: ARTE1 RESOLVE COMEÇAR 2020 ASSIM]

Google Podcasts
O contista e romancista Sidney Rocha conversa com Manuel da Costa Pinto sobre o protagonismo da linguagem. Neste episódio, Rocha fala sobre “A Estética da Indiferença”, segundo livro da trilogia “Geronimo” - iniciada em 2015 com “Fernanflor”. Além de comentar sobre a escolha dos títulos de seus livros, o escritor aponta as influências presentes em “O Destino das Metáforas”, livro ganhador do prêmio Jabuti de 2012.


Contra o estilo | Jornal Rascunho por José Castello


***

SIDNEY ROCHA IMAGINA CIDADE FICTÍCIA E HEDONISTA EM NOVO ROMANCE 

Fonte: Estadão
por Ney Anderson
jornalista e editor do site de literatura Angústia Criadora


***


https://arte1play.com.br/colecoes/degustacao-2742/arte1-comtexto%3A-sidney-rocha-35033

Em conversa com o crítico literário Manuel da Costa Pinto, o contista e romancista Sidney Rocha fala sobre “A Estética da Indiferença”, segundo livro da trilogia “Geronimo” - iniciada em 2015 com “Fernanflor”. Além de comentar sobre a escolha dos títulos de seus livros, o escritor aponta as influências presentes em “O Destino das Metáforas”, livro ganhador do prêmio Jabuti de 2012, e fala sobre como a linguagem é a protagonista de sua produção literária.
direção: Iano Coimbra
categoria: LITERATURA  


SIDNEY ROCHA E SUA TRILOGIA CROMANE

Neste episódio do Berrante, conversamos com o escritor Sidney Rocha. Aqui, ele fala da sua Trilogia Cromane, composta pelos romances Fernanflor, A estética da indiferença e Flashes. O autor ainda fala sobre a relação entre o real e a imaginação, como trabalha o espaço em sua obra, fala do início da sua carreira como escritor, a luta pela memória, a necessidade do esquecimento, fala da sua experiência na poesia e dos seus estudos e investigações para se chegar ao resultado da Trilogia Cromane.

       
















https://open.spotify.com/episode/44f2oUu0OQA2bxXywwTf1D

Produtos relacionados

Sidney Rocha contos Lit. brasileira
  • R$ 31,50
Em até 3x sem juros
Comprar
Iluminuras © 2022 - CNPJ 58.122.318/0001-25